jenlaw

A atriz vencedora do Oscar Jennifer Lawrence é conhecida por sua abordagem despretensiosa e pé no chão tanto para a vida quanto para trabalho. Aqui ela fala com a gente sobre fama, família e onde exatamente ela guarda o Oscar.

Quando nós conhecemos Jennifer em Londres, nós meio que esperávamos que ela caísse na porta depois de sua infame queda no Oscar enquanto ia receber o prêmio de “Melhor Atriz” por “O Lado Bom da Vida”. Mas ela não apenas não caiu, como ela andou tão quietamente que nós nem percebemos que ela havia chegado.

Nós pulamos quando a vimos ali em pé, e ela explodiu em risadas. Vestindo uma saia simples e camisa, ela não tinha nenhuma comitiva por trás: e esse é o motivo de nós da Psychologies a amarmos. Lawrence definitivamente não é uma diva. Ela é cativante, engraçada, e talvez meio estranha. “Eu estou tentando não mudar. Eu não quero me comportar de maneira diferente só porque sou famosa”, ela declarou. “Eu nunca quero chegar ao ponto de ficar conformada com alguma imagem glamourosa de mim. Eu não vejo sentido nisso”.

Ela coloca o seu cabelo curto por trás das orelhas. Ela não parece nervosa, mas sem refinamento, espontânea, e até sarcástica em alguns momentos. “O que passou pela minha cabeça quando caí no Oscar? Uma palavra feia que eu não posso dizer que começa com F!”. Então ela encolhe os ombros. Ela encolhe os ombros diversas vezes. É como se ela soubesse que não está falando coisas que ela “deveria” estar falando, mas ela não se importa.

Mesmo na tenra idade de 23 anos, Lawrence não é subestimada. Seu papel no filme “O Lado Bom da Vida” de David O. Russell lhe deu um Globo de Ouro e Oscar (o que a fez a segunda mais nova a receber a estatueta). Em seu mais novo filme com David O. Russell, “Trapaça”, Jennifer ganhou um Globo de Ouro e um BAFTA, além da terceira indicação ao Oscar.

Nascida em Kentucky, Lawrence foi criada numa família feliz com seu pai, dono de uma empresa de construção, sua mãe Karen, instrutora de acampamento de crianças, e mais dois irmãos. Ela queria atuar desde cedo, mas os seus pais estavam determinados a fazê-la terminar a escola. “Eles eram o exato oposto dos pais de atores mirins. Eles fizeram tudo o que puderam para fazer com que isso não acontecesse. Mas ia acontecer, não importava. Eu ficava tipo ‘Obrigada por me criar, mas agora vou me jogar nisso.’”, ela disse.

Com tanta determinação e inteligência, ela estudou muito e terminou a escola dois anos mais cedo. Ela fez a sua primeira audição aos 14 anos e começou a trabalhar na TV antes de conseguir o seu papel revelação em “O Inverno da Alma”, que a fez ganhar sua primeira indicação ao Oscar.

O que é tão refrescante em Lawrence é que apesar de toda sua honra e rapidez para chegar ao status de celebridade, ela é modesta, pé no chão e real. Ela parece estar caminhando com sua onda de sucesso sem passar por escândalos. Até o seu namoro vai-e-vem com Nicholas Hoult é amigável – Hoult continua a falar maravilhas sobre ela.

Desde que a vimos em Londres, também a encontrados no Toronto Film Festival e em Los Angeles promovendo desde “Trapaça” a “Em Chamas” ou seu papel na série “X-Men”. Aqui, ela nos falou sobre tapete vermelho, destino e como assistir programas de televisão ruins é como meditar.

Com 23 anos, você conseguiu um alto padrão de prêmios conquistados. Você acha que é difícil lidar com a expectativa que vem com a fama? Mesmo para uma pessoa mais madura seria um desafio enorme.

Eu tento deixar tudo de uma maneira muito realista e sem dramas. Eu acho que é fácil dramatizar coisas, especialmente quando você está nessa indústria que faz parecer que tudo é tão glamouroso, quando na verdade não é. Eu tento ficar concentrada e não desconcentrar do meu trabalho. No grande esquema das coisas, a família vem primeiro, mas sim, há muitas distrações nessa indústria, embora nenhuma delas seja muito atrativa para mim. Eu não gosto de ficar fora de casa até tarde, então festas não são uma tentação para mim. Eu acho que eu simplesmente gosto do meu trabalho, então eu gosto de fazer qualquer coisa que me mantenha trabalhando. Isso me mantém com os pés no chão.

O seu sucesso foi uma surpresa para você?

Uma surpresa não define isso. [risos] Não foi como um “Oh!”, foi mais como uma explosão. É uma das coisas que você realmente nunca vai estar preparado antes de acontecer. A possibilidade disso acontecer parece gentil, muito grande e muito assustador – inacreditável demais.

É verdade que você perdeu o seu Oscar?

Eu não perdi, minha mãe o roubou! Eu coloco todos os prêmios em um pequeno closet da minha casa, simplesmente porque me sinto meio estranha se as pessoas vão me visitar – não quero parecer estar me exibindo dizendo “Olhe o que eu consegui!”. Então eu simplesmente os escondi nesse pequeno closet. Mas minha mãe pensou que era desrespeitoso, então ela levou o Oscar e o restante dos prêmios para Kentucky.

Como você lida com o fato de ser uma celebridade e com a fama?

A fama não quer dizer muita coisa para mim, mas eu adoro estar numa posição que posso ajudar minha família. Isso tem sido uma verdadeira benção – é um sentimento maravilhoso saber que depois de tudo o que meus pais sacrificaram por mim, eu cheguei nessa posição. Eu agora posso dar a eles um pouco de paz na mente e cuidar de qualquer coisa que eu precisar. Minha família é a razão de eu estar onde estou e de ser quem eu sou, e meus irmãos são as pessoas mais importantes para mim. Um dos meus irmãos tem um bebê, e saber que eu posso ajudar a pagar a educação do meu sobrinho se algum dia ele precisar é ótimo. Meu outro irmão adora viajar, e eu amo poder fazer uma surpresa para ele com uma passagem para Austrália ou outro lugar que ele queira ir. Poder fazer esses tipos de coisas para eles é a melhor coisa que já me aconteceu.

É adorável que você se preocupa com sua família, mas você alguma vez já se deu agrados?

Eu não tenho gostos muito caros. Eu venho dirigindo o mesmo carro por anos e não estou prestes a comprar um Porsche ou algo assim. Minha família sempre me ensinou a ter bom senso quando se trata de dinheiro, então só porque eu tenho dinheiro não significa que eu tenho que ficar gastando! E eu fico completamente feliz fazendo coisas simples e saindo com meus amigos e minha família.

Qual é o aspecto mais desafiador da sua vida atualmente?

Ser seguida por paparazzi por ser um transtorno, mas eu frequentemente troco de carro com meu amigos, o que faz um pouco mais fácil de sair por aí sem ser seguida. Mas uma coisa que é desapontador é sentir que as pessoas estão tratando você diferente porque sabem que você é famosa. Não há mais um contato natural quando conheço alguém. Eu não gosto de me sentir diferente ou ter pessoas me relacionando com uma celebridade. Isso pode atrapalhar, embora eu sempre tente ser eu mesma e não deixar ninguém desconfortável se acabaram de me conhecer. Esse é o motivo de ser tão bom manter o contato com aqueles amigos que conheciam você antes de você começar a ter sucesso e receber muita atenção. Eu realmente quero ficar longe de todas as besteiras dessa indústria.

E sobre tudo aquilo de se vestir e a bajulação do tapete vermelho – você gosta disso tudo?

[risos] Essa é a única vez que eu gosto de me arrumar. Geralmente se eu estou me arrumando sozinha, eu não uso maquiagem e prefiro usar roupas comuns. Eu cresci com dois irmãos, e nunca fui uma menininha que gostava de fazer espalhafato sobre meu cabelo ou sobre o que ia vestir na escola. Eu ainda fico muito nervosa quando se trata de tapete vermelho e o que eu vou vestir em grandes eventos.

Você representa um novo tipo de sex symbol; alguém que tem uma beleza realmente natural.

Obrigada, mas eu queria que eu realmente sentisse mais pressão para aparentar bem o tempo inteiro! Eu não faço dieta, mas eu me exercito. Para entrar em forma para “Em Chamas” eu fiz yoga e outros exercícios, e algumas vezes fiz caminhada. Não existe uma pílula nova que se possa tomar. E se eu fizesse dieta ou cortasse alguma coisa, essa seria a única coisa que eu conseguiria pensar o dia inteiro até comer de novo, então não tem sentido. Eu simplesmente tento não pensar muito sobre o meu peso, a não ser quando estou me preparando para um filme ou fazendo um photoshoot. Eu não acho que preciso passar fome para ficar atraente ou para ser apreciada por meu trabalho. Eu gosto de ter algumas curvas.

Você tinha apenas 14 anos quando começou a atuar. Como você sabia o que queria tão nova?

Era tudo o que eu queria fazer com minha vida. Eu sabia que era algo que eu podia me sobressair. E foi por isso que terminei o ensino médio mais cedo. Ninguém quer contratar alguém que está na escola, então eu me tranquei no quarto e estudava por oito horas para finalizar todos os meus cursos e me graduar mais cedo porque meus pais insistiram que eu terminasse o colégio. Eu sabia o que eu queria. Eu era estranha. De alguma forma eu sabia para o quê eu tinha sido feita, o que eu devia fazer com a minha vida e eu não queria deixar passar. Atuar sempre foi o meu destino – e isso fez com que fosse fácil para mim em minha vida. As pessoas sempre me perguntam se eu tenho que me beliscar por causa do meu sucesso, mas honestamente, amigos da minha idade estão acabando a faculdade agora e não têm certeza sobre o que querem fazer da vida. Então eu tive sorte de simplesmente saber o que eu queria tão cedo.

Como você escolhe papéis? Você parece passar por muitos riscos em sua carreira.

Eu não sinto que eu escolho os personagens necessariamente – o filme tem que ter um diretor que eu queira trabalhar, e os diretores são muito importantes para mim, porque são as pessoas com quem você aprende. Frequentemente você pode encontrar um bom roteiro, mas um diretor pode fazer tudo fácil ou quebrar a boa história. Então o diretor é provavelmente a coisa mais importante para mim. E também porque se trata de um grande relacionamento – o relacionamento entre um ator e um diretor é muito importante, e especialmente sendo jovem como eu sou e não tendo muita experiência. Eu quero aprender com as pessoas que eu realmente quero aprender e ser igual.

Como você relaxa? Onde você encontra um lugar para escapar? O que te recarrega?

Nada. Eu não faço nada além de assistir programas ruins de televisão. Honestamente, televisão ruim é como uma forma de meditação – desliga o seu cérebro por horas e horas. Eu viajo muito a trabalho, então eu não quero viajar quando estou de férias – eu simplesmente quero ficar quieta. Eu vou para minha casa em Kentucky. Eu gosto de virar babá do meu sobrinho por uns dias. É bom, é relaxante.

Você tem muito tempo livre?

Não tive muito ultimamente. Eu acho que a juventude e cafeína têm me mantido em pé.



Você pode falar sobre seu elenco Anton Yelchin e Jennifer Lawrence?
JF: eu fiz centenas de testes com várias menins. Foram todas fantásticas e eu vejo-os agora em filmes e programas de TV. Ela fez o teste e ela foi muito boa. Fui vê-la no filme Inverno da Alma e eu saí do cinema e disse: “Essa é a garota que eu quero. Agora, temos que reescrever o roteiro inteiro para ela. “Percebi que era realmente o roteiro que não estava funcionando. Eu estava forçando os atores a interpretar as coisas que não eram adequadas para o personagem por isso tivemos de voltar e refazer o roteiro da parte dela.





A Entertainment Weekly fez três perguntas à Jennifer Lawrence sobre The Hunger Games (Jogos Vorazes):

Qual cena dos três livros você está mais animada para fazer como Katniss?
Eu não acho que uma cena em particular me deixou animada para atuar como Katniss, todo o livro me fez querer isso. Fora isto, eu nunca atirei de arco e flecha, então vai ser legal.

Que personagem, além Katniss, é mais apaixonante, e o que você mais ama nele?
Peeta. Ele é bom e agradável em um mundo que é duro e cruel.

Qual heroína de filmes do passado você acha que tem um pouco do espírito de luta da Katniss?
A “Ripley”, de Sigourney Weaver, em Alien. É o primeiro que vem à mente.